6 motivos que me levaram a começar o desafio O milagre da manhã

Há 12 dias comecei o desafio O milagre da manhã, inspirada pelo livro “O milagre da manhã” (The Miracle Morning), do autor Hal Elrod. São 12 dias acordando 1h mais cedo do que o costume – às 6h da matina – e cumprindo uma rotina matinal voltada para o desenvolvimento pessoal. 

Me ouvindo falar assim, você pode estar pensando:

“Acordar 1h mais cedo? Pra quê isso, criatura?” 

” Rotina matinal? A minha é acordar atrasado (a) e sair correndo para o trabalho!”

“Que? 6h da matina? Não, isso não é para mim.”

Rotina matinal voltada para o desenvolvimento pessoal? Isso é coisa de executivo rico”. 

Essas foram algumas declarações que ouvi de amigos e leitores do blog Seja Leve quando contei sobre o desafio O milagre da manhã. Normal a reação, eu também pensei mais ou menos assim antes de começar. 

“Será que essa rotina é realmente viável na minha vida? E será sustentável em longo prazo?”. Fiquei com essas dúvidas na cabeça, mas 6 motivos me levaram a dizer SIM para o desafio. Veremos agora: 

1 –  Vontade de ler mais 

Uma das coisas que gosto de fazer é ler. Normalmente eu leio à noite, antes de dormir. Funciona bem assim, o “problema” é que eu dificilmente consigo ler todos os dias. Às vezes estou tão cansada que vou direto dormir ou então acabo me distraindo no Twitter e deixando a leitura para depois. 

Com o desafio O milagre da manhã, estou conseguindo ler diariamente e logo na primeira hora do dia, quando a cabeça está totalmente descansada. Para mim, tem sido uma das atividades mais prazerosas da rotina matinal, atrás apenas da atividade física (ou alongamentos).

Aí você pode estar se perguntando: “não dá sono ler um livro logo cedo?”. Eu não sinto não, mas de toda forma deixo a parte da leitura para o final, depois que já dei uma “aquecida” no corpo e na mente com as outras atividades. Até agora está dando certo! 

2  – Dificuldade para meditar todos os dias 

No ano passado lancei o desafio da meditação guiada aqui no blog e comecei a meditar. Eu meditava todos os dias e estava super empolgada (a gente fica assim quando começa alguma coisa, né?).

Porém, todavia, entretanto, o desafio terminou e eu deixei de me comprometer tanto. Eu continuei meditando e me aprofundei na parte técnica, mas esbarrei numa dificuldade: manter a regularidade. 

Normalmente eu tento meditar logo cedo, antes de começar a trabalhar (trabalho em casa atualmente), mas sabe o que acontece? Eu sinto que a meditação está me atrasando para o trabalho!

É que eu costumo acordar às 7h e começar o expediente às 8h, ou seja, tenho uma hora só para acordar, levantar, arrumar a cama, tomar café, depois banho… Só no café da manhã eu gasto meia hora todo dia, então acaba sobrando pouco tempo para outras coisas.

Ok, eu sei que 10 minutinhos de meditação não atrasam ninguém, mas o fato é que me bate uma certa ansiedade enquanto estou meditando. Frequentemente me ponho a pensar nas tarefas do dia e deixo de me concentrar na prática. 

Aí entra o desafio O milagre da manhã, que me propõe acordar 1h mais cedo durante a semana e manter uma rotina matinal que inclui a meditação. Com mais tempo livre antes do trabalho, eu consigo meditar com calma e me concentrar mais.  

Sei que aquele tempo ali é exclusivo para mim e para as coisas que eu gosto, então tento aproveitá-lo ao máximo e me desligar do resto. 

3 – Necessidade de alongar (sim, alongar!) 

Sabe “unir o útil ao agradável”? Então, a expressão se encaixa perfeitamente neste desafio. Na parte do exercício físico, eu poderia ter escolhido praticar yoga ou qualquer atividade aeróbica  em casa. Porém, escolhi fazer alongamentos. 

Talvez seja comum para você se alongar antes e depois de se exercitar, mas eu não tenho esse hábito. Coisa feia, eu sei, mas é a verdade! Nunca dei muita atenção para essa história de alongamento até começar a sentir dores nos joelhos e procurar um ortopedista.

Na consulta ele me disse: “Você é bem encurtada. Vá alongar”. Recentemente, ouvi a mesma coisa de um segundo médico e, por fim, concluí que deveria fazer algo a respeito. Aí veio a ideia de aproveitar o desafio para tentar melhorar o meu alongamento e criar o hábito de me alongar.

Não sei se vai vingar, mas por enquanto está funcionando bem! Diariamente estou fazendo aulas de alongamentos em casa, seguindo alguns vídeos no Youtube (indiquei todos neste post aqui). É a primeira atividade da minha rotina matinal e também a mais prazerosa até agora. 

Para mim, que estou acostumada a fazer exercícios físicos à noite, faz uma baita diferença me exercitar logo cedo. Me sinto muito mais disposta para começar o dia, sem corpo mole e sem preguiça. Dá-lhe endorfina! 

4 – Desejo de praticar mais a escrita terapêutica  

Na infância eu recorria aos diários, na adolescência ao Word, mas o fato é que, de uma forma ou de outra, eu estava sempre escrevendo. Eu escrevia sobre o que eu estava pensando ou sentindo no momento, para desabafar e organizar meus sentimentos e pensamentos. Sempre foi assim, e sempre foi bom.

Hoje em dia não escrevo com a mesma frequência, mas continuo gostando da ideia de usar a escrita como ferramenta terapêutica. E é exatamente essa a proposta do Hal Elrod,  autor do livro O milagre da manhã. Ele propõe que a gente mantenha uma espécie de diário para registrar por escrito experiências emocionais, pensamentos, ideias. 

Estou tentando fazer isso na minha rotina matinal, mas não é todo dia que sinto vontade de escrever. Às vezes prefiro aproveitar o momento da escrita de outra forma, como por exemplo, pegando o meu caderno e anotando os pontos-chaves do livro que estou lendo. Ou então listando as minhas tarefas do dia.

São coisas que eu já tenho o costume de fazer e encaixo no desafio para otimizar o tempo. Entendo que a ideia é justamente essa – adaptar a rotina matinal do livro O milagre da manhã aos nossos interesses, objetivos e estilo de vida.  

5 – Possibilidade de começar o dia sem tanta correria  

Por anos e anos a minha rotina matinal era acordar, levantar, arrumar a cama (sim, parte importante do processo), tomar banho e sair para trabalhar. Não dava tempo de tomar café da manhã em casa. Se eu tomasse, atrasaria para o trabalho e pegaria o trânsito daquele jeito. 

Foi assim por muito tempo, de segunda a sexta-feira. Quando comecei a trabalhar em casa (falei sobre o home office neste post aqui), as coisas mudaram um pouco. Consigo tomar café da manhã sem pressa e não preciso me preocupar com o trânsito lá fora. 

Porém, às vezes acordo, levanto e vou direto para a frente do computador. Não tiro nem o pijama e já começo a trabalhar. Não fico nesta pilha toda porque sou viciada em trabalho, mas porque produzo conteúdo para um blog de concursos públicos.

Com isso, a minha primeira tarefa do dia é consultar o Diário Oficial da União (DOU) na internet. Eu faço essa consulta logo cedo para ver se foi aberto algum concurso público e divulgar a informação no blog. Daí a correria, entendeu? 

Com o desafio O milagre da manhã, eu consigo começar o dia com mais calma. Não acordo e vou direto trabalhar. Acordo, tomo café da manhã e me comprometo com a minha rotina matinal, antes de fazer qualquer outra coisa. Resultado: sensação de bem-estar, prazer e conquista. 

6 – Nada mal ter mais tempo para mim 

O desafio O milagre da manhã me ajuda a dedicar tempo todos os dias para as atividades pessoais que me dão prazer, como leitura e meditaçãoAtividades que já faziam parte do meu dia a dia, mas até então não eram prioridade. Cansaço, correria, falta de tempo; tinha tudo isso para atrapalhar. 

Aí batia a sensação de que a vida anda corrida demais e de que eu preciso sair do piloto automático. Também vinha o pensamento: “essa ideia de manter uma rotina matinal é muito bonita, mas inviável. Um tempo para o mim diariamente, logo na primeira hora do dia? Não, não dá”. Ta aí o desafio para mostrar que dá, dá sim! 

Quer se desafiar também? Conheça o Guia Prático Para uma Vida Mais Leve 

Você gosta da ideia de realizar desafios para criar novos hábitos? Hábitos que te ajudem a dedicar mais tempo e atenção à sua saúde mental/emocional e ao seu processo de autoconhecimento? Hábitos que tragam mais leveza, equilíbrio e simplicidade para o seu dia a dia e ajudem a reduzir a ansiedade, o estresse, a angústia? 

Se essa ideia faz sentido para você, quero que conheça o Guia Prático Para Uma Vida Mais Leve. Nele reuni todo o passo a passo para você colocar 7 desafios em prática ao longo do ano e cuidar da mente todos os dias.

Além disso, compartilhei uma série de dicas e orientações levando em conta o que funcionou e não funcionou para mim quando experimentei cada desafio. Se você quer formar hábitos mais saudáveis para a mente, tá aí o seu ponto de partida!

Para comprar o e-book, é só clicar no link abaixo: 

→ Quero comprar o Guia Prático Para Uma Vida Mais Leve [R$ 34,90]


Agora que eu contei as minhas razões para começar o desafio O milagre da manhã, quero saber: você se identificou com algum dos motivos que eu listei? Anima se planejar e experimentar o desafio também? Responde aí nos comentários! 

[kkstarratings]

2 Comentários


  1. Muito legal saber dos seus motivos e das rotina, eu já terminei o livro e comecei a implementar também a minha rotina matinal, falta mesmo só eu me compromissar para fazer todos os dias. Abço.

    Responder

    1. Cláudia, eu já deixei de me comprometer com a rotina alguns dias. Às vezes porque dormi mal e não consegui acordar mais cedo, às vezes porque tive compromisso muito cedo e não quis levantar mais cedo ainda para o desafio. Isso acontece! Por isso acho melhor começar sem se cobrar demais, para a rotina não virar um sacrifício.

      Espero que você consiga implementar a sua e que isso faça real diferença no seu dia a dia, como está fazendo para mim. Depois me conta como está sendo a sua experiência? Quais atividades está fazendo etc…Me manda um e-mail! marcela@sejaleve.com

      Abraço!

      Responder

Deixe o seu comentário