Alimentar o ego x servir o coletivo

titans_posters_ego-625x1024 Alimentar o ego x servir o coletivo

No ano passado, fiz meu mapa natal. Eu não, na verdade encomendei a uma ex-colega de trabalho que estuda astrologia. Ela fez e me mandou um arquivo PDF com umas 30 páginas cheias de informações. 

Li e fiquei assustada. Meu Deus, o que tá acontecendo aqui? Leram a minha mente? – foi o que pensei depois da primeira leitura.  

Quase tudo ali tinha MUITO a ver comigo, com a minha vida e a minha relação com o mundo, algumas coisas mais, outras menos. Fui lendo e refletindo sobre cada ponto, como um exercício de autoconhecimento.

Depois mandei imprimir o arquivo na gráfica. Encadernar também. Sim, sou dessas. Quando acho importante eu imprimo pra não correr o risco daquilo ficar esquecido numa pasta do computador. Ou pra não ter que ficar me perguntando: “onde foi que eu salvei mesmo?”.

Melhor ter meu mapa natal sempre às mãos, de preferência na gaveta do meu criado-mudo. E foi lá mesmo onde ele ficou por meses e meses, até eu pegá-lo de novo na última segunda-feira, no café da manhã.

Fui relendo página por página e grifando as partes mais importantes com um marcador de texto verde neon. Eis que chego na página 15, onde leio:

Com Sol na casa 11, você veio aprender sobre a expressão do seu eu, que a sua expressão não deve ser pra te satisfazer, mas pra servir ao coletivo. Aprender a lidar com ego x servir o coletivo. Tem questões fortes de ego? Importante trabalhar a expressão como um serviço para a sociedade”.

Essa bateu forte em mim.  Alimentar o ego x servir ao coletivo. Nunca tinha pensado sobre isso antes, mas me dei conta que vivo esse dilema como produtora de conteúdo na internet.

Em muitos momentos, me vejo presa em uma armadilha do ego. Fico obcecada com os números, querendo conquistar milhares de seguidores no Instagram e em TODAS as outras mídias sociais onde produzo conteúdo pelo Seja Leve.

Será que alguém consegue ser forte em todas ou meu nível de exigência é que tá muito alto? É claro que o número de seguidores importa, todo mundo que encara a produção de conteúdo como trabalho precisa de alcance e engajamento.

Mas não posso permitir que meu ego fale mais alto do que o meu propósito de ajudar as pessoas a viverem com mais leveza e menos ansiedade e estresse. Foi isso o que eu vim fazer aqui quando criei o blog, em 2017. E é isso que precisa continuar me guiando.

Não quero que o número de seguidores seja a minha régua de sucesso, nem o motivo da minha falta de autoestima e autoconfiança. Não quero pensar que falhei toda vez que meu número de seguidores cair, meu post flopar, meu engajamento baixar.  

Nada disso me define. Nada disso me torna um fracasso. Nada disso determina o rumo da minha carreira. Nada disso é atestado de incompetência.

E nem tudo se resume a mim e ao meu conteúdo. Tem tanta coisa envolvida… Tem os algoritmos, tem a pandemia. Tem um monte de gente saturada das redes sociais.

Então por que deixar o ego dominar? Por que me deixar levar pelas métricas de vaidade? Por que ficar ansiosa? Por que achar que eu seria feliz com os milhões de seguidores da Juliette, do Felipe Neto e do Whinderson Nunes?

Não, eu não seria feliz. É muita exposição pra mim. Me conheço. Então por que às vezes eu penso que é tudo sobre números?

Suas definições de sucesso já foram atualizadas, Marcela. Parece que esqueceu? Sucesso é trabalhar e viver com qualidade de vida. É ajudar os outros, seja ou não produzindo conteúdo na internet.

Confesso que ainda tô descobrindo o que vim fazer nessa vida. A propósito, todo mundo tem sua missão? Pode ser que a minha não tenha nada de especial ou extraordinário. 

Ou pode ser que ela mude ao longo do caminho. Ou que nunca seja descoberta. Talvez eu até descubra, à medida em que a vida for acontecendo. Minha intuição me diz que o caminho é mais ou menos esse que eu já comecei a trilhar. Ela falha, mas também acerta.

O que eu sei é que não quero esquecer nunca da frase que li em algum lugar e anotei num post-it laranja pregado em frente à minha mesa do trabalho: você pode ter sucesso sem vender a sua alma.

Não me deixem esquecer. E não se esqueçam também.

2 Comentários


  1. Só pra dizer a vc, sobre seu texto Ego, …não muda nada!
    Continua a escrever como vc sabe, está de ótima maneira, e repito, não muda nada. Pra mim é como se fosse um papo com amiga de anos, e é disso que eu gosto…e mais, a sua frase e mais do que perfeita , “vc pode ter sucesso sem vender a sua alma”
    Bj grande e saiba que adorei o texto

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.