5 filmes Netflix para ficar “de boas” no fim de semana!

Hoje é quinta-feira e o cansaço bateu com força! Eu e o Bruno, meu namorado, já pensamos na programação para o fim de semana. Combinamos de hibernar, simplesmente. Netflix, sofá, comes e bebes.  

Se você também está planejando ficar “de boas”, vou indicar 5 bons filmes Netflix que assisti recentemente.

E óh, se tiver alguma indicação, passa pra frente também? É só compartilhar nos comentários ao final do post. 

1 – O Menino que Descobriu o Vento

Um filmaço baseado na história real de um jovem africano chamado William Kamkwamba. O garoto de 13 anos vivia com a sua família em uma pequena aldeia em Malawi. Era um período de seca e a comunidade sofria com a fome.

Em meio às dificuldades, William foi obrigado a sair da escola, porque seu pai não tinha dinheiro para pagar as mensalidades. Ainda assim, o menino não desistiu de estudar e começou a frequentar uma biblioteca local financiada por americanos.

Lá, ele se apaixonou pelos livros de ciências e aprendeu sozinho como funcionavam os motores e a eletricidade. Com conhecimento, determinação, sucatas e peças de bicicleta, ele conseguiu o inimaginável: construir um sistema de captação de energia eólica para bombear água para irrigação. 

Curiosidade: o filme é o primeiro longa dirigido por Chiwetel Ejiofor, que também é ator e ficou conhecido pela atuação em “12 Anos de Escravidão”. Além de dirigir “O Menino que descobriu o Vento”, Chiwetel interpreta o personagem Trywell, pai de William. 

2 – Eu, Daniel Blake

No primeiro lugar da lista, um filmaço: “Eu, Daniel Blake” vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2016 e do Prêmio Bafta 2017, considerado o “Oscar Britânico”. 

O longa conta a história de Daniel Blake (Dave Johns), um marceneiro inglês que sofre um ataque cardíaco no trabalho e quase morre.

De licença médica e afastado do emprego aos 59 anos de idade, ele começa a sua luta contra a burocracia para garantir o seu direito ao seguro-desemprego.   

Por aí você já pode imaginar, né? Nem vou falar mais nada, para você assistir, tá?

Tenho certeza que vai se identificar com Daniel Blake e a verdadeira “via crucis” que ele enfrenta para conseguir os benefícios do governo britânico. 

E você vai ver que é quase impossível não traçar um paralelo com a nossa burocracia aqui no Brasil. Difícil assistir e não se sensibilizar, se indignar, se comover ou se revoltar de alguma forma. Ainda mais em tempos de reforma previdenciária no nosso país…rs 

Se gostou da sinopse e vai assistir o filme, tenho outra dica para você: essa entrevista da Globo News com o diretor do filme, Ken Loach. Foi em 2017. 

3 –  A Grande Aposta

Já assistiu ” A Grande Aposta”? Filmaço!

É baseado em fatos reais e retrata, com riqueza de detalhes, a bolha que provocou a grave crise econômica dos Estados Unidos em 2008. 

No elenco, atores de peso: Ryan Gosling,  Brad Pitt, Christian Bale e Steve Carell. Cada personagem, interpretando um investidor de Wall Street, conta como começou a crise, que foi baseada na mera especulação do mercado financeiro e imobiliário norte-americano. 

Por mais que a história seja complexa, o filme não é nada maçante ou complexo. Todo o desenrolar da crise é contada de maneira simples e divertida. Os termos econômicos são bem explicadinhos, fica fácil de entender.  

Duas curiosidades: 

  • “A Grande Aposta” foi inspirado no livro “A Jogada do Século”, de Michael Lewis, um dos principais escritores de economia da atualidade;
  • A adaptação para o cinema teve cinco indicações ao Oscar 2016, incluindo Melhor Filme. Ganhou na categoria “Melhor Roteiro Adaptado”. 

4 – The Final Year 

Agora um filme mais novo para a lista: The Final Year, que estreou em janeiro de 2018 na Netflix.

O documentário acompanha o último ano do mandato do ex-presidente Barack Obama e mostra os esforços da política externa do então governo. 

Para isso, o diretor do filme, Greg Barker, filmou Obama e sua equipe em mais de 20 viagens ao exterior e também dentro da Casa Branca.

Embora o ex-presidente apareça em algumas cenas, o filme tem outros três protagonistas: o secretário de Estado, John Kerry, a embaixadora da ONU, Samantha Power, o conselheiro de comunicações estratégicas Ben Rhodes.

São eles que compartilham suas visões sobre os conflitos na Síria, o acordo nuclear com o Irã, o restabelecimento das relações diplomáticas com Cuba, entre outras conquistas do governo de Barack Obama. 

Para mim, um dos momentos mais emocionantes do filme é quando a equipe de Obama se dá conta de que Donald Trump seria o próximo presidente dos Estados Unidos.

Ninguém parece acreditar no resultado das eleições de 2016. Todo mundo ali perplexo e espantado, tentando digerir o que aconteceu. Deu para sentir exatamente o clima que tomou conta da Casa Branca, depois da vitória de Trump. 

Assista, mas não vá esperando que as eleições presidenciais sejam muito comentadas no filme. O foco é mesmo nos altos e baixos da política externa de Barack Obama.

E por falar nele, você viu a notícia de que o ex-presidente está negociando um programa na Netflix. Será? Já fiquei animada! 

5 – Curvas da Vida

“Curvas da Vida” não foi um sucesso de crítica, mas me agradou. O filme conta a história de Gus (Clint Eastwood), um olheiro de beisebol que está com a visão comprometida e a carreira ameaçada pelas novas tecnologias e pelos novos talentos da empresa onde trabalha. 

Prestes a ser demitido e sofrendo forte pressão, ele embarca para a Carolina do Norte, com a missão de selecionar a nova estrela do beisebol americano. 

O que ninguém imagina é que Gus terá uma “assistente” pra lá de competente nesta viagem: sua filha Mickey (Amy Adams). Embora tenha sido criada em meio à jogos e arquibancadas, Mickey seguiu um caminho profissional completamente diferente.

Ela se tornou advogada em um escritório de advocacia e está prestes a virar sócia da firma quando decide acompanhar o pai nesta seleção decisiva na sua carreira. 

Uma curiosidade: o ator Clint Eastwood já havia parado de atuar há alguns anos quando aceitou o papel de protagonista em “Curvas da Vida” para dar uma força ao amigo e parceiro de trabalho, Robert Lorenz, que fazia sua estreia como diretor. 

E você, tem algum filme Netflix para indicar? Quero a sua indicação! Deixa para mim nos comentários! 

[kkstarratings]

3 Comentários



  1. Amei Noite de Lobos! Para ajudá-la na tarefa de se satisfazer contra os carrascos de seu pequeno, ela manda uma carta para o escritor Russell Core. Riley Keough foi maravilhosa no filme, é uma atriz preciosa que geralmente triunfa nos seus filmes. Recém a vi em Ao Cair Da Noite, um dos melhores filmes de terror, sendo sincera eu acho que a sua atuação é extraordinário, em minha opinião é a atriz mais completa da sua geração, mas infelizmente não é reconhecida como se deve.

    Responder

    1. Opaaaa, vou dar uma olhada nesse filme, Simone! Obrigada pela dica, viu? Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.