Fim do desafio O milagre da manhã! Saiba se valeu a pena!

Crédito da foto: Globo Esporte

Toca o tema da vitória, DJ! 

Tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan tan!!!!! (Fãs de Ayrton Senna do Brasil, vocês vão se lembrar disso!).

Agora a gente faz de conta que essa é a trilha sonora do post, tá? Não tem música mais apropriada para o assunto de hoje: fim do desafio O milagre da manhã!  😆 

Foram 30 dias acordando mais cedo durante a semana, entre 6h e 6h20 da manhã. Nessa primeira hora do dia eu coloquei em prática a rotina matinal proposta por Hal Elrod, autor do livro O milagre da manhã, sucesso de vendas aqui no Brasil. 

Se você caiu de paraquedas no blog, calma que eu vou te contar que rotina é essa e que desafio é esse. Para quem acompanhou tudo até aqui, chegou a hora do balanço final!

Vou contar se o desafio realmente valeu a pena e o que deu certo e errado nesta experiência. Também vou falar se a rotina matinal fez alguma diferença para mim e se pretendo levá-la adiante. Será que vou? É o que conto agora! 

Mas antes, como funcionou o desafio O milagre da manhã? 

Para você que está meio perdido (a) nessa história de desafio, vou resumir! No dia 23 de outubro eu lancei aqui no blog o desafio O milagre da manhã. No dia seguinte, 24/10, comecei a acordar mais cedo (entre 40min e 1h) do que o costume, ou seja, entre 6h e 6h20 da manhã

Nessa primeira hora do dia, eu segui a rotina matinal proposta pelo autor do livro O milagre da manhã. E o que seria isso? É uma sequência de seis atividades voltadas para o meu desenvolvimento pessoal. São elas: 

E você fez TODAS elas?

Todos os dias não. Inicialmente a ideia era seguir a risca a rotina matinal do livro, sem pular nenhuma atividade. Porém, à medida em que os dias foram passando, fui percebendo que nem tudo vai funcionar para mim.

Fui vendo que não é todo dia que vou querer praticar a escrita, não é todo dia que vou me lembrar da afirmação, não é todo dia que vou ter tempo de fazer as seis atividades. 

Eu até poderia ter me “forçado” um pouco mais, afinal, era um DESAFIO né? O ideal seria não pular nenhuma parte, até mesmo para ter mais condições de falar com você se a rotina deu ou não deu algum resultado, se melhorou ou não melhorou alguma coisa.

Mas posso te falar? Eu não quis forçar a barra não. Me comprometi a seguir a rotina todos os dias da semana, mas sem rigidez, sem cobrança em excessos, sem regras demais. Não quis que o desafio fosse sinônimo de obrigação, peso e sobrecarga. Quis que fosse leve e prazeroso. E foi! 

Qual foi a melhor atividade? 

via GIPHY

Sem dúvidas foi o exercício físico. Antes eu não tinha o costume de me exercitar logo cedo. Praticava exercícios sempre à noite, depois do trabalho. Com o desafio eu comecei a fazer alongamentos diariamente, logo na primeira hora do dia.

Começar a me exercitar de manhã cedo fez realmente diferença para mim. Me deu muito mais energia para começar o dia e muito mais disposição para as outras atividades do desafio. E a melhor parte: às vezes eu sentia dores nas costelas, agora não sinto mais! (Bem que o médico falou que era falta de alongamentos). 

Isso quer dizer que eu preciso continuar alongando, né? Bem, acho que não será difícil manter a prática não, viu? Para mim, alongar logo cedo já virou um hábito. Levanto, tomo um café da manhã mais leve, visto minha roupa de ginástica, coloco meu colchonete no chão da sala e começo a me alongar. 

No começo eu assistia vídeos de alongamentos no Youtube, mas no fim já estava me alongando sozinha mesmo, enquanto assistia ao Bom Dia Minas! 

Inclusive, foi no desafio que eu criei o costume de assistir telejornal logo cedo. Nunca assistia, porque a minha manhã era sempre corrida demais. Era a conta de acordar, tomar banho e café e começar a trabalhar.

Sabe aquela música “Capitão de Indústria”, do Paralamas do Sucesso? Quem é da minha época deve conhecer! O refrão é assim: “Eu acordo para trabalhar, eu durmo para trabalhar, eu corro para trabalhar…Eu não tenho o tempo de ter o tempo livre de ser, de nada ter que fazer”… Então, era bem desse jeito! rs 

E quais atividades não funcionaram tão bem?

Escrita e afirmação. Como eu contei lá no Instagram, eu não sentia vontade de escrever diariamente sobre os meus pensamentos, sentimentos, emoções etc. Eu adoro esse recurso da escrita terapêutica, inclusive foi um dos motivos que me fez começar o desafio O milagre da manhã.

Porém, à medida em que as semanas foram passando, fui percebendo que não é todo dia que eu quero registrar por escrito o que estou sentindo ou pensando. Deixei para escrever naqueles dias em que me senti mais angustiada, preocupada e aflita e senti a necessidade de colocar isso para fora, de desabafar.  

Já a afirmação eu não fiz todos os dias por puro e total esquecimento mesmo. E isso aconteceu porque não dei tanta importância para essa parte, talvez pelo fato de ainda não estar convencida do poder das afirmações positivas. 

O que melhorou depois da rotina matinal? 

De forma geral, me sinto menos ansiosa, distraída e cansada do que antes. A qualidade do meu sono também melhorou muito de umas semanas para cá.  Praticamente não estou acordando mais durante a madrugada – o que era uma constante há vários meses.

Acho sim que a rotina matinal tem a sua participação nisso, mas não posso desconsiderar outros fatores. Exemplo: no mesmo período do desafio, eu decidi cortar totalmente o consumo de café e começar a tomar chá, principalmente à noite.

Nada contra o cafezinho, só quis investigar se as minhas duas ou três xícaras diárias atrapalhavam ou não o meu sono. E, coincidência ou não, comecei a dormir muito melhor desde o dia em que fiz essa mudança. 

Você pulou o desafio algum dia? 

via GIPHY

Ô leitor (a) querido (a), é claro que eu pulei! Pra que mentir se eu posso falar a verdade? hahaha

Durante esses 30 dias, deixei de fazer o desafio por quatro dias. Duas vezes eu não fiz porque simplesmente perdi o horário. Era o início do horário de verão e eu não consegui acordar mais cedo do que o costume. O despertador tocou e eu simplesmente virei para o lado e dormi de novo, como se o desafio não existisse. 

Na outra vez eu tive que sair bem cedinho para um compromisso e não quis acordar ainda mais cedo para o desafio. Não precisa ser sacrificante assim, precisa? Eu acho que não. Por fim, um dia desses eu tive que começar a trabalhar às 7h, então foi tudo muito corrido. Acordei às 6h da manhã e fui direto tomar café e me arrumar para o trabalho. 

Mas sabe de uma coisa, leitor (a)? Eu levei esses “furos” numa boa. Não fiquei me sentindo descompromissada ou frustrada porque pulei um dia ou outro de desafio. Eu só acrescentei mais um dia na contagem dos 30 dias e segui adiante. 

Eu só não ficaria feliz se tivesse pulado vários dias consecutivos, sabe? Quebra o ritmo totalmente! Me policiei ao máximo para que isso não acontecesse. 

Teve desafio nos fins de semana? 

via GIPHY

Não teve! Preferi não ir com tanta sede ao pote! hahaha..Achei melhor seguir com o desafio só durante a semana mesmo. Para falar a verdade, antes de começar eu não sabia nem se conseguiria me comprometer com essa rotina matinal de segunda a sexta-feira. Imagina no fim de semana, então? Eita, vamos com calma!

E foi melhor ter começado assim – com calma – até mesmo para não jogar a expectativa lá no alto e correr o risco de me cobrar demais (isso costuma acontecer!).

Além do mais, no fim de semana a gente quer sair da rotina, né? Dormir mais tarde, acordar sem despertador, desacelerar…eu pelo menos quero! rs

Até gosto e costumo aproveitar esse tempo livre lendo e praticando caminhada, por exemplo. São coisas que eu gosto de fazer independentemente do desafio O milagre da manhã. Só não quero assumir o compromisso de fazer isso todo fim de semana, na primeira hora do dia. E nem precisa, concorda? 

Fim do desafio, fim da rotina matinal?

via GIPHY

Nãooooo, espero mesmo que não! Pretendo levar adiante a rotina matinal e continuar acordando entre 6h e 6h20 para praticar os alongamentos, a meditação (ou oração), a visualização e a leitura.

Acho que não será tão difícil assim, porque agora o corpo já se acostumou a acordar 1h mais cedo. Às vezes eu acordo até antes do despertador tocar, o que era impossível nas primeiras semanas.

Outra coisa que melhorou: o sono que eu sentia durante o dia. Eu ainda fico meio sonolenta depois do almoço, principalmente lá pelas duas da tarde, mas nada de outro mundo não. Depois passa e eu fico ligada de novo! rs 

Vídeos e meditações guiadas do desafio

No post da primeira semana de desafio eu indiquei as minhas meditações guiadas preferidas do momento. Além daquelas, tenho mais duas indicações:

Sobre os vídeos de alongamentos do Youtube, o que eu mais assisti e gostei foi esse aqui óh, também indicado no post da primeira semana

Não dei conta de fazer os exercícios todos, achei os três últimos bem difíceis para iniciantes pouco flexíveis como eu. Até tentei fazer um deles, mas DEU RUIM! Senti uma fisgadona na perna e parei com a tentativa antes que a coisa piorasse. Por hora, aceito os meus limites! rs 

Dicas para quem quer começar 

Quem aí vai topar o desafio O milagre da manhã, hein? Boraaaaaaaaaaa! Aqui embaixo vão algumas dicas para ajudar: 

#1 – não acho necessário ler o livro O milagre da manhã para começar o desafio. A ideia central você já sabe: criar uma rotina matinal voltada para o desenvolvimento pessoal e  segui-la na primeira hora do dia, antes de qualquer outra coisa. Os detalhes você mesma (o) pode definir, de acordo com a sua realidade;

#2conte para alguém que você vai começar o desafio. Comente com algum amigo ou faça um post no Instagram explicando a sua ideia. Quando a gente assume publicamente o nosso objetivo, parece que as coisas ficam mais concretas, mais reais, sabe? É uma forma de formalizar a nossa meta;

#3 – cuidado com a frase “eu não sou uma pessoa matinal”. Quando a gente se define assim, automaticamente já criamos uma limitação. É claro que algumas pessoas sentem mais dificuldades do que outras para acordar cedo. Mas essa é só uma característica que diferencia uma pessoa da outra. Não é algo que te define e te impede de tentar;

#4 – encare o desafio como um experimento. Você vai EXPERIMENTAR esse ritual matinal para saber se funciona ou não para você (não vai funcionar para todo mundo!). Se não funcionar, agradeça a quem te apoiou e fale abertamente que não, não rolou. E vida que segue!

#5 – Por fim, tente não desistir antes de terminar a primeira semana de desafio. Depois dela, as coisas foram ficando cada vez mais fáceis para mim. Não foi tão difícil como eu imaginava. Talvez você fique com a mesma impressão ao fim dos 30 dias. Depois me conta? 

→ Quer mais dicas para começar? Aqui neste post tem! 

Leia também: 

Guia prático para uma vida mais leve 

Você gosta da ideia de realizar desafios para criar novos hábitos? Hábitos que te ajudem a dedicar mais tempo e atenção à sua saúde mental/emocional e ao seu processo de autoconhecimento? Hábitos que tragam mais leveza, equilíbrio e simplicidade para o seu dia a dia e ajudem a reduzir a ansiedade, o estresse, a angústia? 

Se essa ideia faz sentido para você, quero que conheça o Guia Prático Para Uma Vida Mais Leve, o meu primeiro e-book. Nele reuni todo o passo a passo para você colocar 7 desafios em prática e cuidar da mente todos os dias. 

Além disso, compartilhei uma série de dicas e orientações levando em conta o que funcionou e não funcionou para mim quando experimentei cada desafio. Se você quer formar hábitos mais saudáveis, tá aí o seu ponto de partida!

Para comprar o e-book, é só clicar no link abaixo: 

→ Quero comprar o Guia Prático Para Uma Vida Mais Leve [R$ 34,90] 

Fico por aqui desejando que o e-book desperte em você o desejo de melhorar a si mesmo para viver com mais leveza, equilíbrio e simplicidade e conviver de maneira mais harmoniosa e autêntica com as pessoas à sua volta. Bons desafios e conte comigo! 

[kkstarratings]

3 Comentários


  1. Oi Marcela adorei seu depoimento sobre O Milagre da manhã…incrivel! exatamente minha opinião, eu já estou no 45º dia e como vc fez, adaptando e não seguindo com rigor
    mas já virou rotina e sinto que corre super bem, nos 7 dias na semana
    parabens pelo seu blog…excelente, divertido e super atualizado! bj grande

    Responder

  2. Muito legal ler seu relato, e sua sinceridade em dizer não 😄
    Acho que você fez muito bem em não se cobrar, ficar neurótica… Fazendo um pouco de cada vez, as coisas entram na nossa rotina e deixam de ser obrigação! Tá de parabéns!

    Quero mudar alguns hábitos, quero ler mais livros,caminhar mais e estudar inglês com mais frequência. Tenho feito cada um destes muito menos do que gostaria. E vou correr atrás para implementar esses hábitos até que eles sejam rotina na minha vida 😊

    Responder

    1. Acho que, na correria de hoje, todo mundo fica com essa sensação de que tem feito menos do que gostaria. Praticar inglês, por exemplo, é algo que eu não consegui ainda trazer pra minha rotina. Já fiz aula particular um tempão e parei. Depois tentei cursos online e parei também. O máximo que eu tenho feito é ler uma notícia ou outra em jornais internacionais, mas não com frequência. Enferrujada! rs

      Responder

Deixe o seu comentário