Entrevista com a Dra. Sofia Bauer sobre Psicologia Positiva

Faz pouco tempo que ouvi falar sobre Psicologia Positiva pela primeira vez. À princípio pensei que se tratava de alguma corrente a favor do pensamento positivo.

Depois de alguma pesquisa, descobri que, na verdade, a Psicologia Positiva pretende ampliar o foco da Psicologia Tradicional

Mas como? É isso o que você vai saber agora nesta entrevista com a Dra. Sofia Bauer, psiquiatra e especialista em Psicologia Positiva. 

Na nossa conversa, ela explica o que é, como surgiu a Psicologia Positiva e quais as premissas para aplicá-la na nossa vida. A médica fala, também, como foi sua formação com Tal Ben Shahar, uma das principais autoridades no assunto atualmente.

Ele é ex-professor da Harvard Business School, onde lecionava a disciplina Psicologia Positiva, a mais procurada da universidade. Vem saber tudo! 

1 – Para começar, explica pra gente o que é e como surgiu a Psicologia Positiva? 

É uma abordagem da Psicologia que foi criada em 2005 pelo psicólogo norte-americano Martin Seligman. Em seus primeiros estudos, por volta do ano de 2000, ele percebeu que as pessoas felizes tinham melhores relacionamentos, menos doenças e maior longevidade, conexão familiar e sucesso no trabalho. 

A partir daí, Martin Seligman começou a pesquisar a fundo as populações otimistas e pessimistas. Nas pesquisas, ele e outros pesquisadores, como a psicóloga Sonja Lyubomirsky, identificaram os fatores que influenciam os nossos níveis de felicidade.

Concluíram que 50% são as características genéticas, 40% são as nossas atividades intencionais (atitudes e padrões de pensamento) e 10% são as circunstâncias da vida (perdas financeiras, desastres naturais e outras situações que não estão sob o nosso controle). 

Isso significa que as nossas escolhas e ações podem aumentar os nossos níveis de felicidade e a Psicologia Positiva pode nos ajudar nisso.  

2 – Qual a essência da Psicologia Positiva? 

Médicos e terapeutas estão muito acostumados a focar somente nos problemas, nas dificuldades e nas doenças enfrentadas pelos pacientes. 

A Psicologia Positiva nos ensina a mudar o enfoque. Isso não significa ignorar o sofrimento ou negar o que está indo mal ou dando errado na vida das pessoas. Significa mudar o foco para aquilo que está funcionando bem, para o que está dando certo.

É focar nas soluções dos problemas e nas forças e habilidades que cada um tem e, muitas vezes, não consegue enxergar. A partir desse comportamento mais otimista, há grandes chances das pessoas mudarem completamente de vida e serem mais felizes. 

3 – Essa abordagem está ganhando força, Dra Sofia? 

Sim, atualmente a Psicologia Positiva está ganhando força nas áreas de terapia e de coaching e também nas empresas, governos e escolas. A neurociência tem dado muita ênfase para práticas como yoga e meditação e para conceitos como o da Psicologia Positiva.

Grandes escolas, como a Harvard Medical School, têm feito grandes trabalhos para investigar a melhoria da saúde e do bem-estar a partir da prática da yoga e da meditação. Instituições como o  The Chopra Center tem estudado cada vez mais a meditação como um meio propício à saúde física e mental.

Como a Psicologia Positiva nos propõe meditar, agradecer e apreciar o belo, a abordagem tem sido muito útil neste momento de caos no mundo, em que as pessoas estão cada vez mais voltadas para o negativo.

Quando introduzimos a Psicologia Positiva na vida delas, conseguimos bons resultados, como redução da ansiedade e melhoria dos sintomas da depressão.  

4 – Quais as premissas da Psicologia Positiva? Pode falar rapidamente sobre cada uma? 

São premissas simples que todo mundo pode colocar em prática. A primeira é observar e apreciar aquilo que funciona bem na sua vida. A segunda é agradecer pelo o que você tem, até mesmo os seus problemas, porque eles são grandes mestres para uma vida melhor. Quanto mais você agradece, mais você foca naquilo que funciona.

A terceira é permitir-se ser humano e aceitar que todos nós sentimos raiva, medo, rancor, tristeza, dor…Em vez de tentar reprimir essas emoções, a Psicologia Positiva nos ensina que o importante é sentir e deixar ir.

A quarta premissa é sair da zona de conforto e se exercitar mais, ter uma alimentação mais saudável, dormir um pouco mais cedo e meditar diariamente. Se possível, também praticar yoga pelo menos duas vezes por semana. 

A quinta premissa é fazer ao outro aquilo que você deseja que façam com você. Praticar pequenos gestos de gentileza, sorrir para as pessoas, dizer palavras amáveis, ver o mundo com outros olhos. 

5 – O Tal Ben Shahar é um dos grandes especialistas em Psicologia Positiva na atualidade. Como foi a sua formação com ele? 

Em 2013 eu fiz um curso de um ano com o professor Tal Ben Shahar. Foi uma certificação em Psicologia Positiva no Whole Being Institute, que ele fundou após parar de dar aulas na Universidade de Harvard (EUA).

Nessa formação aprendi tudo o que sei sobre Psicologia Positiva e que hoje passo adiante no  curso “Certificação em Psicologia Positiva EAD”. 

Eu e a psicóloga Carolina Perrela Amaral criamos esse programa de treinamento com base nos ensinamentos do professor Tal Ben Shahar e de outros especialistas que acompanhamos nos últimos anos. Alguns deles: Deepak Chopra, Jon Kabat-Zinn e Daniel Goleman. 

É um curso bem amplo que inclui práticas de meditação, aulas de yoga e técnicas de hipnose voltadas para a Psicologia Positiva.

6 – Como foi essa experiência com o professor Tal Ben Shahar, pessoalmente falando?

Foi transformadora. A partir dos ensinamentos do professor Tal Ben Shahar, eu descobri que poderia transformar a minha vida. Comecei a aplicar a Psicologia Positiva no meu dia a dia e adotei hábitos como dormir mais cedo, meditar diariamente e praticar yoga. 

Daí em diante, a minha vida pessoal e profissional mudou. Tudo melhorou. Posso dizer que eu era uma pessoa antes do Tal Ben Shahar e hoje sou outra. Me sinto muito mais saudável, feliz, generosa e trabalhadora. 

7 – Para encerrar, qual livro você indica para quem quiser se aprofundar na Psicologia Positiva? 

Como primeira leitura eu indico o livro “A Ciência de ser Feliz”. De forma muito clara e aberta, a Dra. Susan Andrews resume em menos de cem páginas uma extensa teoria sobre a felicidade. Ao ler o livro, a pessoa já será capaz de entender o que precisa fazer, na prática, para iniciar uma mudança de vida baseada na Psicologia Positiva. 

Para se aprofundar mais um pouco, sugiro a leitura de “O Cérebro e  Felicidade”, do Dr. Rick Hanson, e o “O Jeito Harvard de Ser Feliz”. Esse último é de autoria do pesquisador Shawn Achor, que foi assistente do professor Tal Ben Shahar na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. 

[kkstarratings]

 

2 Comentários

Deixe o seu comentário