Tudo sobre o Setembro Amarelo 2018, campanha que já mobilizou o Twitter, Spotify e o Facebook

É bem provável que, nos últimos dias, você tenha visto alguém falando sobre o Setembro Amarelo 2018 nas suas redes sociais. No Twitter, por exemplo, as pessoas que apoiam a campanha – desde celebridades até o Ministério da Saúde – estão postando mensagens com a hashtag #SetembroAmarelo.

Por lá também está rolando a ação #ExisteAjuda, uma parceria entre o Twitter Brasil e o Centro de Valorização da Vida (CVV), um dos principais mobilizadores do Setembro Amarelo.

Outra iniciativa de apoio partiu do Spotify, que criou a Playlist 188 com 40 músicas inspiradoras para momentos difíceis. O nome “188” é uma referência ao número de telefone do CVV, para onde as pessoas podem ligar gratuitamente em busca de apoio emocional.

Além do Twitter e do Spotify, o Facebook também aderiu ao Setembro Amarelo 2018. Em parceria com o CVV, a empresa acabou de lançar a campanha #EuEstou, que tem a participação de influenciadores digitais e especialistas da área de saúde mental.  

Como dá para ver, a mobilização está ganhando força nas redes sociais – e fora dela também. Se você ainda não se atentou para a campanha, é hora de dar uma olhada nas informações abaixo!  

Suicídio: uma questão de saúde pública

Os índices de suicídio no Brasil – 6 a 7 casos para cada 100 mil habitantes – são relativamente baixos em comparação à média mundial – 13 a 14 casos para cada 100 mil habitantes. O que preocupa é que, enquanto a média mundial permanece estável, as taxas brasileiras vem crescendo ao longo dos anos.

O número de casos tem aumentado principalmente entre jovens, como revela esta reportagem da BBC Brasil, que teve acesso a dados exclusivos do Mapa da Violência 2017, que ainda será publicado.

Estratégias de prevenção da OMS

O Brasil é um dos países signatários do Plano de Ação em Saúde Mental 2013-2020, lançado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Com a assinatura, o país se comprometeu com os seguintes objetivos: 

  • fortalecer a liderança e governança eficazes para a saúde mental;
  • fornecer serviços abrangentes, integrados e responsivos de saúde mental e assistência social em contextos comunitários;
  • implementar estratégias de promoção e prevenção em saúde mental;
  • fortalecer os sistemas de informação, evidências e pesquisas para a saúde mental.

Para saber mais sobre o plano, clique aqui (conteúdo em inglês). 

E no Brasil, o que tem sido feito? 

Em setembro de 2017, o Ministério da Saúde lançou uma Agenda Estratégica de Prevenção ao Suicídio 2017-2020. Com o lançamento, o governo federal comprometeu-se a reforçar as ações de vigilância e prevenção ao suicídio e à promoção da saúde no Brasil.

A meta é reduzir em 10% a taxa de mortalidade por suicídio até 2020. Uma das ações tomadas com esse objetivo foi a publicação do 1º Boletim Epidemiológico sobre o Suicídio, no fim de 2017.

A primeira edição reúne dados sobre as tentativas e óbitos por suicídios no Brasil registrados no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Os números são referentes ao período entre 2011 e 2015. Clique aqui para acessar o boletim. 

Com foco nessa Agenda, também foi ampliada a parceria entre o Ministério da Saúde e o CVV. Com a ampliação, a ligação para o CVV, a partir do número 188, passou a ser gratuita para todo o Brasil.

Para os próximos anos, uma das ações previstas é a expansão da atuação dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS) existentes no Brasil. Nessas instituições são acolhidas as pessoas com sofrimento ou transtorno mental, entre eles a depressão e a síndrome do pânico.

O Setembro Amarelo

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização criada em 2015 pelo CVV, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

A iniciativa é promovida em setembro porque neste mês é comemorado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10/9), instituído pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio.

Qual o objetivo da campanha?

Cristo Redentor iluminado de amarelo em apoio a uma das edições da campanha| Crédito da foto: CVV

O objetivo é chamar a atenção da população para a necessidade de prevenção ao suicídio no Brasil e no mundo.

Com esse intuito, unidades do CVV em todo Brasil reforçam a divulgação de informações sobre o assunto. Na programação, palestras, debates, caminhadas, rodas de conversa e abordagens em locais públicos.  

Na internet, mensagens sobre o Setembro Amarelo são divulgadas amplamente nas redes sociais do CVV e disseminadas por apoiadores da campanha.

Além disso, vários prédios públicos e monumentos do Brasil costumam ficar iluminados com a cor amarela durante o mês de setembro. Em 2017, por exemplo, o Cristo Redentor, um dos maiores cartões-postais do Rio de Janeiro, recebeu iluminação especial em apoio à campanha. 

Qualquer um pode participar?  

Sim, leitor (a) querido (a)! Eu já estou participando e você também pode, de várias maneiras. Algumas sugestões:  

  • Divulgar os materiais de divulgação sobre a campanha nas suas redes sociais;
  • Colocar o tema da campanha na sua foto de perfil do Facebook;
  • Postar mensagens de apoio à iniciativa no Twitter, com a hashtag #SetembroAmarelo;
  • Organizar caminhadas e/ou passeios ciclísticos no seu bairro ou na sua comunidade;
  • Sugerir para o seu chefe uma palestra ou apresentação sobre o Setembro Amarelo na sua equipe (ofereça ajuda para criar);
  • Perguntar aos seus familiares e amigos se eles estão sabendo sobre o Setembro Amarelo;
  • Vestir uma camiseta amarela ou usar o laço símbolo da campanha;
  • Divulgar informações sobre o assunto nos seus grupos do Whatsapp;
  • Confeccionar faixas e cartazes para divulgar no seu estabelecimento comercial, na sua escola ou na sua empresa;
  • Compartilhar esse post com quem ainda não conhece a campanha.

Se tiver mais alguma ideia, compartilha comigo ao fim do post! É só deixar no espaço para comentários! 🙂

Cartilhas para baixar 

Quero compartilhar com você três cartilhas que são muito úteis para mim quando vou pesquisar informações sobre suicídio para publicar aqui no blog.

Sugiro que jornalistas, educadores, profissionais de saúde e todas as pessoas impactadas pelo problema leiam esses materiais. É importante para se informar e saber como tratar o assunto com o cuidado que ele merece.

– Prevenção ao suicídio: manual dirigido ao público em geral

 – Falando abertamente sobre o suicídio

– Como noticiar o assunto nos meios de comunicação e evitar o efeito contágio (orientações para jornalistas)

Como procurar ajuda?

Se você precisa de ajuda e apoio emocional, entre em contato com um dos voluntários do CVV para conversar. Veja abaixo os canais de atendimento:  

→ Você sabia? A ligação para o CVV tornou-se gratuita para todo o Brasil em junho deste ano. Basta ligar 188 para conversar com um dos voluntários da entidade. O atendimento é 24 por dia, todos os dias da semana.  

Centros de Apoio Psicossocial – CAPS

Além do CVV, você pode procurar os Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), que funcionam de segunda a sexta-feira, com atendimento das 9h às 18h.

Nessas instituições, pessoas com depressão, crises de ansiedade e outros transtornos mentais são atendidas gratuitamente por profissionais especializados. Clique aqui para saber a localização dos CAPS no seu Estado.

Em caso de emergência, ligue 192 (SAMU) ou procure um hospital ou Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Leia também

[kkstarratings]

2 Comentários


    1. Ei Nayara, muito obrigada pelo comentário! Volte mais vezes 🙂

      Responder

Deixe o seu comentário